Resistência a antibióticos é uma ameça tão grande como terrorismo

A diretora-geral de saúde britânica, Sally Davies, defendeu hoje que a crescente ineficiência dos antibióticos é “catastrófica” e global, uma ameaça tão grande como terrorismo ou alterações climáticas que deve ser encarada pelo G8 e Organização Mundial de Saúde.

A resistência cada vez maior das bactérias aos medicamentos existentes  é “uma bomba relógio”, não apenas para o Reino Unido, mas para todo o mundo,  disse a professora universitária Sally Davies.

“Temos de trabalhar com todos para nos assegurarmos de que o cenário  apocalíptico de resistência antibiótica generalizada não se torna numa realidade”,  adiantou.

Caso os seres humanos percam a possibilidade de combater infeções, intervenções  cirúrgicas de rotina podem tornar-se letais dentro de 20 anos.

Davis sugere a inclusão da resistência a antibióticos no registo nacional  de ameaças britânico, que também inclui “ataques terroristas catastróficos  e outras emergências civis”.

“Esta ameaça é indiscutivelmente tão importante para o mundo como as  alterações climáticas”, adiantou.

O assunto deve ser debatido pelos ministros dos Negócios Estrangeiros  do grupo dos países mais industrializados (G8), em Londres no próximo mês   “Os governos e organizações em todo o mundo, incluindo a Organização  Mundial de Saúde e o G8, precisam de levar isto a sério”, adiantou.

Segundo Davies, há “um vazio de descobertas” no campo dos antibióticos  desde 1987 e as doenças têm evoluído mais rapidamente do que os medicamentos  para as tratar.

As infeções custam ao Reino Unido perto de 35 mil milhões de euros por  ano em cuidados de saúde e dias de trabalho perdidos.

Fonte:  Agência Lusa

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Os comentários estão fechados